Buscar
  • Inovare

Nova década, nova geração

Emmanuel Gonçalves

A geração Z está chegando para movimentar o futuro do trabalho. Os softs skills vieram para ficar! A nova era começou! Muito se fala sobre o inicio de novos ciclos. No contexto do trabalho não é diferente. Ora, quem nasceu nos anos 2000 esse ano completará 20 anos. E, veja, é a geração Z, a geração que está entrando no mercado de trabalho e desvendando um novo mundo.


Muitas notícias circulam a respeito da nova década e como a geração Z está enxergando o que é considerado tradicional. Para new generation formação tradicional não é mais vista como um sonho. O desenvolvimento de novas habilidades, os chamados soft skills, são muito mais importante.

Os novos formatos de trabalhar estão exigindo cada dia mais de que o indivíduo seja multitask, ou seja, profissões engessadas, compreendendo apenas o que lhe é devido são ultrapassadas. Hoje, o mercado exige que os profissionais saibam mais que montar um planilha no excel ou seja bom em relacionamento interpessoal.


É necessário saber se arriscar, tomar decisões, abraçar responsabilidades, noções de programação, estar antenado nas novidades de mercado, saber se relacionar trás um aspecto de destaque para esses profissionais. As formações tradicionais não são consideradas, por essa nova geração, como único meio para a formação de profissionais capacitados no mercado de trabalho.



Um pesquisa realizada em 2018, pela Freelancing in America, apontou que 93% dos entrevistados, com diploma, disseram o que desenvolvimento de habilidades foi mais útil para o que eles faziam agora, contra 79% disseram que somente a educação superior os preparam adequadamente para o que eles desenvolvem no mercado de trabalho.


A educação é o principal caminho de desenvolvimento, isso os dados mostram, mas aqueles que continuam acrescentando mais habilidades demonstram estarem mais capacidades para as exigências do mercado de trabalho.


A tecnologia avança a passos largos, de modo que os ensinos tradicionais não acompanham em igual ritmo, fazendo com que os indivíduos busquem aperfeiçoamento além das universidades.


A pesquisa aponta que muitas vezes o título estampa uma competência profissional, no entanto, esse título tende a criar um falso senso de segurança ou a ilusão de perpetuação do trabalho - como se o conhecimento fosse estático, mas não é.


Profissões que estão sendo requeridas hoje, em construção civil por exemplo, em 10 anos podem não existir mais. O passo da mudança é acelerado! Sthephane Kasriel, CEO da Upwork, enfatiza que fazer cursos superiores, possuir títulos, não é perda de tempo ou dinheiro. No entanto, o futuro do trabalho é o sobre HABILIDADES. O desenvolvimento de habilidades e o aperfeiçoamento constante é a cara da geração Z.

Para mais informações

https://www.cnbc.com/2018/10/31/the-future-of-work-wont- be-about-degrees-it-will-be-about-skills.html

https://hbr.org/2019/01/the-hard-truth-about-innovative- cultures

https://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---dgreports/--- inst/documents/publication/wcms_625866.pdf

6 visualizações

© 2023 por Nome do Site. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram